Biografias

Na praça Jerônimo Cândido Gomide, na cidade de Palmelo, a estátua de Jerônimo Candinho

Na praça Jerônimo Cândido Gomide, na cidade de Palmelo, a estátua de Jerônimo Candinho

JERÔNIMO CÂNDIDO GOMIDE - 20 de janeiro de 1888 e desencarnou em 20 de outubro de 1981.

Nascido em 20 de janeiro de 1889, na cidade de Sacramento, Minas Gerais. Na Fazenda Lagoa, viveu sua infância, na companhia de seus pais, José cândido Gomide e Jerônima Vitorina de Jesus. Aprendeu as primeiras lições na fazenda em que morava, tendo aprendido com facilidade a ler e a fazer contas. Na adolescência, cuidou de plantações, do gado e transportava no carro de bois a produção rural para a cidade.

Tinha um carinho imenso por sua que padecia vitimada por uma obsessão cruel, seu desejo era curá-la, vê-la saudável. Aos 13 anos de idade, sua família mudou-se para Sacramento. Mas, em 1906, Eurípedes Barsanulfo fundou o Colégio Allan Kardec e no ano seguinte com 18 anos de idade, ingressou no ensino médio. O seu aprendizado era rápido, como se tivesse recordando lições que já fazia parte do seu aprendizado.

Com a esperteza peculiar de Jerônimo, auxiliava seu professor a administrar as lições, de geografia, Matemática, História do Brasil e Astronomia. Com a cura de sua mãe se tornou espírita e acompanhava o Professor Eurípedes e o auxiliava como enfermeiro a cuidar dos doentes, bem como, cuidava dos doentes mentais no Sanatório.

Casou com Francisca Borges, conhecera-a como interna do Sanatório, devida às várias mediunidades que possuía, perturbou, mas realizando o tratamento curou-se, para se tornar uma médium valorosa, no amparo aos enfermos obsediados, e nas comunicações espirituais para ordem dos trabalhos mediúnicos, e orientação dos centros espíritas. Teve dez filhos: Maria Madalena, Aloísio, Estela, Alfa, Elina, Neolina, Eurípedes, Antonio de Pádua, Laplace e Aroína. Cuidaram de seis crianças, filhos adotivos que eram tratados com igualdade: Berenice, Cícero, Maria, Olga, Sônia e Síria. Em 1918, desencarna seu mestre e benfeitor, ao qual se ligou pelos laços da alma. No ano seguinte, veio para Goiandira, Goiás. Localidade, acompanhando seu pai que viera anos antes e se estabelecido na região. Fundou o Centro Espírita Jardim da Luz em Goiandira. Devido às perseguições de era vítima pelo fato de curar auxiliar o próximo na prática da mediunidade, mudou residência para o município de Caldas Novas, Goiás, na Fazenda do Pico, as perseguições continuaram, e respondeu a 15 processos pela prática ilegal da medicina sendo inocentado em todos os processos, pois não recebia pelo tratamento que realizava, primando-se no lema da mediunidade, ensinado por Jesus: “Daí de graça o que de graça recebestes”. Tendo feito tratamento espiritual em pessoas das proximidades de Santa Cruz de Goiás, da Fazenda Palmelo, onde havia sido fundado o Centro Espírita Luz da Verdade, em 09 de fevereiro de 1929, Jerônimo Candinho, orientava os espíritas da localidade culminando na sua mudança para essa localidade no ano de 1936. Como essa região fazia parte do Município de Pires do Rio, Jerônimo Candido Gomide Foi Vereador de Pires do Rio por três legislaturas, com sua presença na vida política, elevou o povoado de Palmelo à categoria de cidade, emancipada no dia 13 de novembro de 1953. Sendo o primeiro prefeito eleito da cidade. Mas não foi na área política que Jerônimo ficou conhecido, e sim pela sua dedicação na prática dos ensinos da Doutrina Espírita. À frente do Centro Luz da Verdade, formou uma equipe de médiuns, que diuturnamente, trabalhavam nas curas espirituais, intensificou o trabalho de desobsessão por corrente magnética, que aprendera com seu professor Eurípedes Barsanulfo, que foi a base para a cura dos enfermos do corpo e da alma. Para atendimento aos idosos e enfermos fundou o Dispensário São Vicente de Paulo, para atendimento aos doentes mentais e perturbados espirituais fundou o Sanatório Eurípedes Barsanulfo, visando uma educação com amor e instrução eficiente fundou o Ginásio Eurípedes Barsanulfo, atualmente, Colégio Estadual Eurípedes Barsanulfo e o Grupo Escolar de Palmelo. Impulsionador do progresso de Palmelo. Em busca de Tratamento Espiritual vieram pessoas de todos os continentes da Terra, e com freqüência, de países sul americanos, e de todos estados do território nacional. Com seu trabalho, logicamente orientado pela equipe espiritual do Campo Espiritual de Palmelo, pela mentora espiritual Maria Madalena, e pelos secretários João Sain’t Clair da Cruz e José Maria, Santo Agostinho, Eurípedes Barsanulfo, Bezerra de Menezes, São Vicente de Paulo, Sarapião Ribeiro, Azevedo Costa e outros.

Ensinava o Espiritismo como forma encontrar a felicidade na prática do amor e da caridade.

Desencarnou no dia 20 de outubro de 1981, aos 92 anos de idade, sua última frase, sacramentando tudo o que realizara em vida, foi uma lição e estímulo para continuarmos trabalhando: “Paz, Amor e Fraternidade para os homens, hoje e sempre”.

Atualmente trabalha ao lado dos espíritos de escol, sendo um incansável trabalhador do Cristo, amparando e confortando os espíritos sofredores, e assistindo aos encarnados nas atividades cotidianas, direcionando-os para o caminho do bem.

É o mentor espiritual de inúmeros centros espíritas e de instituições filantrópicas para assistência social. Jerônimo Candinho continua estudando, trabalhando no bem e progredindo, aproximando-se cada vez mais de Deus, Nosso Pai.

Numa das reuniões especiais dos cursos foi proposta a tarefa de realizar com os participantes uma música sobre Jeronymo Candinho, e do esforço dos participantes daquela reunião surgiu a seguinte música que se tornou um hino para os palmelinos em gratidão ao trabalho prestado por valoroso trabalhador